WAYSOCIAL

TOP PARCEIROS

Procure

11 de fevereiro de 2012

Ainda vale a pena se empolgar com The Walking Dead?



Como não sou de chegar na casa dos outros sem avisar, abrindo a geladeira e dando tapa na bunda de todo mundo, custa nada uma apresentação: sou o Marcelo e sou de... uma cidade que ninguém precisa saber (principalmente os outros fãs de The Walking Dead - porque também sou fã hein). O que vocês precisam saber é que vou falar sobre cinema e TV por aqui, toda semana. Enfim, ao assunto...

Atenção: Texto com spoilers moderados. Coisa besta (mas besta mesmo), nada que estrague a trama, pode ler sem medo. Problema seria se eu falasse algo tipo "o Leonardo DiCaprio morre no final de Titan...ops.

Neste domingo, dia 12 de fevereiro, a 2ª temporada de um dos maiores fenômenos da TV americana nos últimos tempos, The Walking Dead, retorna de um intervalo de três meses que ocorreu logo depois de uma sequência de episódios que se resume em uma palavra: decepção. Com uma infinidade de erros, essa primeira parte da temporada fez muito fã se questionar: será que no fim das contas, The Walking Dead foi só aquele “fogo” do momento? Será que na verdade, a série passa longe de ser tudo isso que a gente achou? Vale a pena se empolgar ainda?

O alvoroço com The Walking Dead começou logo quando os primeiros trailers saíram. A ideia de uma série inteira com zumbis e comandada por um nome de peso como Frank Darabont (diretor de filmes como A Espera de um Milagre e Um Sonho de Liberdade e que já saiu do comando, o que explica muito) dava a certeza de que ia sair coisa muito boa daí. Com tanto pra criar expectativa, é lógico que a série já estreou com um hype absurdo. E merecido. O primeiro episódio de The Walking Dead é fantástico.

A ideia de focar mais nos dramas pessoais dos personagens e menos na invasão zumbi foi bem conduzida, a ação foi bem trabalhada e o episódio ainda contou com momentos memoráveis (a zumbi partida ao meio, abandonada no parque, o homem com a própria esposa na mira da arma). Quando estreou, o sucesso só aumentou cada vez mais e milagrosamente conseguiu se manter por um ano inteiro, tempo que a série ficou sem passar depois da 1ª temporada que teve míseros 6 episódios e apesar de alguns problemas, foi muito boa.


Resultado: A estreia da 2ª temporada foi a maior audiência da HISTÓRIA da TV a cabo americana, mostrando que a força da série não tinha caído nem um pouco. E foi um episódio excelente mesmo. Passaram-se as semanas e aí... a coisa desandou. A série empacou de uma forma inacreditável, com os personagens na fazenda do velho Hershel e a garotinha, Sophia, desaparecida. Nesses sete episódios que já foram exibidos, fomos obrigados a ver um triângulo amoroso desinteressante entre três personagens, romances completamente sem sentido, aulas de tiro (em pleno apocalipse!) e o protagonista pescando zumbis (sério... HAHAHA).

Sem contar que os defeitos que antes deram pra relevar, agora eram evidentes demais pra ignorar. Como nada estava acontecendo, ficou claro que nós, telespectadores, no fundo não fazemos a menor ideia de quem era aquela gente. Eles surgiram como simples estereótipos (velho experiente, machão, antagonista do líder, medroso de bom coração...) e salvo algumas exceções, ficaram nessa, não rolou nem um mínimo desenvolvimento. Com isso, descobrimos também que eles são todos chatos DEMAIS! Todo episódio é o velho reclamando, a mulher do protagonista (o policial Rick) com cara de maluca, o japonês que era pra ser legal sendo bobo... o pior é que tudo isso sempre esteve aí, só que antes ainda conseguiam disfarçar com coisas boas.

O último episódio que foi exibido antes do intervalo dessa temporada, apesar de seguir uma constante na série (episódio de 42 minutos, onde nada acontece por 37 minutos e nos últimos 5 “MEU DEUS DO CÉU, QUE CENA FODA, MELHOR SÉRIE DA TERRA!”) teve um cliffhanger perfeito o suficiente para não fazer quem está desanimado desistir de vez. Depois de tantas semanas, foi incrível ver uma cena tão bem-feita, bem dirigida, com tudo no lugar e um impacto absurdo que não rolava desde o primeiro episódio. Foi uma cena tão absurdamente boa que realmente apagou todo o resto do episódio (que foi quando eles... pescaram zumbis – pff...).

De qualquer modo, existe toda a chance de eu estar completamente errado, claro. Essa pode ter sido apenas uma péssima fase e The Walking Dead pode voltar neste domingo com força total e uma sequência espetacular de episódios. Mas no ritmo que está não tem quem agüente... e olha que não seria a primeira série amada pelo mundo que perderia uma legião de fãs por uma péssima fase (Lost, Heroes e 24 Horas estão aí pra provar). Então, já passou da hora dos produtores dessa série verem o que tem em mãos e se animarem para animarem os telespectadores também. Afinal, de coisa morta já bastam as que estão na série...
__________________________________

Antes de você me xingar (ou concordar comigo, quem sabe) nos comentários, me xingue (ou concorde) também lá nos meus dois blogs, o Ritual de Séries (com reviews sobre uma infinidade de séries) e o Comentando Cinema (com críticas e comentários rápidos sobre premiações)! Passem por lá também!



Aproveite e clique AQUI para nos curtir e siga-nos no Twitter.